Medicina Tradicional Chinesa: Benefícios, Ervas e Terapias! IMPERDÍVEL!

A Medicina Tradicional Chinesa tem pelo menos 3.000 anos de história. Ela reúne uma porção de técnicas, medicamentos e tratamentos que são utilizados até hoje no mundo todo, tendo como base, por exemplo, o uso de ervas medicinais, a aplicação da acupuntura, a orientação nutricional, exercícios de relaxamento, entre outras terapias alternativas.

No geral, a medicina tradicional chinesa se diferencia da ocidental por sua abordagem mais holística das doenças e condições de saúde. Ela costuma oferecer tratamentos livres de drogas farmacêuticas tradicionais utilizadas no ocidente. A sua eficiência a fez ser utilizada inclusive em hospitais tradicionais do ocidente. Hoje, boa parte dos médicos utilizam técnicas ou conceitos da medicina tradicional chinesa em seus diagnósticos e tratamentos.

como funciona essa prática milenar

As universidades de medicina vem descobrindo a importância da abordagem holística não só no tratamento de patologias como em sua prevenção.

Ainda que muitos não acreditem no seu potencial, ela vem ganhando espaço no mundo todo e muitas pessoas têm relatados melhoras após adotar as práticas desta medicina alternativa.

Terapias Alternativas

A ideia da medicina tradicional chinesa é entender o organismo como um sistema que funciona de acordo com toda a vida do paciente, para além de sinais e sintomas óbvios. Segundo esta filosofia da cura, o corpo age em conjunto, embora tenha órgãos separados. Então toda raiz de um mal e a sua cura deve passar por uma abordagem holística. Ela atua através de três formas:

  1. Identificando os fatores externos e ambientais que afetam a vida do sujeito;
  2. Ajudando os sujeitos a identificarem as suas emoções e a tratá-las da melhor forma;
  3. Melhorando o estilo de vida do sujeito, passando por dieta e exercícios físicos.

Ela é utilizada para o tratamento dos seguintes males:

  • Dores;
  • Artrite;
  • Fadiga;
  • Infertilidade;
  • Doença hepática;
  • Dores de cabeça;
  • Indigestão;
  • Desequilíbrios em hormônios;
  • Pressão alta;
  • Sintomas da TPM;
  • Sintomas da menopausa;
  • Etc.

terapias alternativas

As suas terapias são muito variadas. As mais utilizadas no ocidente são:

  • Acupuntura: utilizada para combater a dor e melhorar o humor;
  • Fitoterapia: utilizada para combater diversas doenças utilizando ervas e plantas;
  • Nutrição: nós somos o que comemos que os orientais entendem muito isso;
  • Exercícios: para aumentar a força, a concentração e fortalecer o sistema imunológico;
  • Massagem: manipulação da pele para estimular o fluxo sanguíneo.

Princípios, Crenças e Qi

crenças

Ainda que tenha cerca de três mil anos de existência e efetividade, a medicina chinesa vem sendo estudada apenas na década de 7o, no ocidente, embora suas práticas tenham sido popularizadas ano após ano. Em quase todo o lugar encontramos pessoas praticando ioga, meditação, tai chi, acupuntura, etc.

A base e o princípio que norteia as crenças da medicina tradicional chinesa é a existência do Qi. O Qi nada mais é do que um tipo de energia vital essencial para a saúde do organismo.

Eles acreditam que o Qi circula por todo o corpo através de meridianos. Tais meridianos são utilizados na acupuntura e na acupressão, por exemplo. Acredita-se que tais meridianos têm conexões com órgãos específicos, o que os fazem mais adequados para tratar algumas doenças e não outras.

Benefícios e Doenças Tratadas

Confira alguns usos comuns da medicina tradicional chinesa na lista abaixo:

  • Combate inflamações: por utilizar ervas e cogumelos ricos em substâncias antioxidantes, anti-inflamatórias e anti-bacterianas, ela é rica em tratamentos para combater inflamações de todos os tipos;
  • Combate dores: a acupuntura e a acupressão, dois dos tratamentos alternativos da medicina tradicional chinesa, são voltados para o tratamento de dores crônicas de todos os tipos. São práticas que te mais de 3.000 anos de uso e são comprovadas pela ciência moderna. A diferença é que a acupuntura utiliza agulhas enquanto a acupressão utiliza a ponta dos dedos;
  • Equilíbrio hormonal: os fitoterápicos da China tem um grande potencial de equilibrar hormônios como o cortisol, a insulina, a testosterona e o estrogênio por conta de suas substâncias naturais. Fora isso, as terapias alternativas desta medicina têm o potencial de equilibrar os hormônios pelo relaxamento mental que suscitam;
  • Promove a saúde do fígado: segundo a medicina tradicional chinesa, o fígado é responsável por suavizar o fluxo emocional, assim como pelo sangue e pelo Qi (explicado anteriormente). Portanto, eles consideram o fígado como a raiz de diversos males. Uma dieta da medicina tradicional chinesa pode alcalinizar o organismo, tornando o pH regular e promovendo a saúde do fígado;
  • Promove a saúde da mente: por diminuir inflamações e a sua capacidade antioxidante, as ervas da medicina chinesa protegem a saúde do cérebro. Boa parte das doenças que afetam o cérebro estão ligadas aos danos dos radicais livres, a inflamações, a deficiência nutricionais e a fatores ambientais. Assim sendo, uma dieta oriental, com ervas e técnicas terapêuticas do oriente, pode diminuir a probabilidade de desenvolvermos doenças mentais, promovendo a saúde mental;
  • Diminui os níveis de estresse: a acupressão, assim como as terapias orientais, reduzem naturalmente os níveis de estresse;
  • Estimula a força, a flexibilidade e o equilíbrio: a tai chi pode potencializar a força muscular, aumentar a flexibilidade e o equilíbrio. Tudo isso é cientificamente comprovado por um estudo da Havard Medical School.

Remédios/Tratamentos orientais são seguros?

Eis algumas precauções, contraindicações e dicas de segurança relativos ao uso de medicamentos e terapias da medicina tradicional chinesa:

  • Ao buscar por terapias alternativas orientais, busque por locais com certificações e cuidados sanitários;
  • A acupuntura é um procedimento seguro desde que as agulhas sejam devidamente esterilizadas;
  • Os remédios fitoterápicos chineses não devem ser utilizados por gestantes e lactantes sem a orientação médica;
  • Os tratamentos e terapias alternativas do oriente são sempre recomendados como tratamentos auxiliares e não substituem um protocolo de tratamento indicado por um médico.

Aprenda mais sobre essa prática milenar no vídeo abaixo:

Você tem alguma dúvida? Como foi a sua experiência com a medicina chinesa? Comente abaixo!

Este artigo te ajudou? Esperamos que sim! Compartilhe isso para o mundo: Obrigada! 😘

Comente! Pergunte! Relate! Sugira!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *