Vitamina D: O que é? Benefícios para Saúde e Deficiência

Vitamina D, também conhecida como a vitamina da luz do sol, é produzida pelo corpo em resposta à exposição solar. Também pode ser conseguida através de comida ou suplemento. Ter vitamina D o bastante é importante por várias razões, incluindo manter a saúde dos ossos e dos dentes. Também protege contra várias doenças como câncer, diabetes tipo 1 e esclerose múltipla.

A vitamina D desempenha vários papeis no corpo, ajudando a:

  • Manter a saúde dos ossos e dos dentes.
  • Manter a saúde do sistema imunológico, cérebro e sistema nervoso.
  • Regular os níveis de insulina e ajudar no tratamento de diabetes.
  • Manter a saúde cardiovascular e as funções respiratórias.
  • Diminuir o crescimento de células cancerígenas.

definições

O que é vitamina D?

Vitaminas são nutrientes que não podem ser criados pelo corpo e por isso precisam ser conseguidas através da dieta.

Apesar do nome, a vitamina D é considerado um pró-hormônio e não realmente uma vitamina.

De qualquer maneira, a vitamina D pode ser sintetizada pelo nosso corpo quando somos expostos à luz do sol.

Estima-se que uma exposição razoável ao sol com a pele nua de 5 a 10 minutos de 2 a 3 vezes por semana permite produzir vitamina D suficiente para a maioria das pessoas, mas os níveis de vitamina D caem bem rapidamente, o que é um risco sobretudo no inverno em que a exposição é reduzida.

Estudos recentes sugerem que uma substancial porcentagem da população mundial possui deficiência de vitamina D.

Benefícios para a saúde

Esta seção visa mostrar os potenciais benefícios da vitamina D, desde ajudar na saúde dos ossos até prevenir um possível câncer.

1) Vitamina D para a saúde dos ossos

vitamina D

A vitamina D desempenha um papel substancial na regulação do cálcio e da manutenção dos níveis de fósforo no sangue, dois fatores extremamente importantes para manter ossos saudáveis.

Nós precisamos de vitamina D para absorver cálcio no intestino e para recuperarmos o que deveria ser excretado pelo rins.

A deficiência de vitamina D nas crianças pode causar raquitismo, uma doença caracterizada por dar uma aparência de pernas tortas devida à fraqueza dos ossos.

Nos adultos, a deficiência de vitamina D se manifesta como osteomalacia (fraqueza nos ossos) ou osteoporose. Osteomalacia resulta em pobre densidade óssea e fraqueza muscular. Osteoporose é a doença óssea mais comum entre as mulheres pós-menopausa e também entre homens de idade avançada.

2) Risco reduzido de gripe

pontos importantes

Crianças que recebem 1200 Uis (Unidades Internacionais) de Vitamina D por dia por 4 meses durante o inverno reduzem o risco de contraírem influenza A em 40%.

3) Risco reduzido de diabetes

nutrição preventiva

Vários estudos observacionais mostraram uma relação inversa entre concentração de vitamina D no sangue e o risco de diabete do tipo 2. Em pessoas com diabetes tipo 2, a falta de vitamina D podem afetar negativamente a secreção de insulina e a tolerância à glicose. Em um estudo particular, bebês que receberam 2000 UIs de vitamina D por dia tiveram 88% de menos chances de desenvolver diabetes tipo 1 aos 32 anos.

4) Saúde infantil

para os seus filhos

Crianças com pressão normal de sangue que receberam 2000 UIs por dia tiveram uma redução significativa na rigidez da parede arterial após 16 meses em comparação a crianças que receberam apenas 400UI por dia.

Pouca vitamina D também está associada a um maior risco e maior severidade de doenças atópicas e doenças alérgicas em crianças, incluindo asma, dermatite atópica e eczema. A vitamina D pode melhorar o efeito dos efeitos anti-inflamatórios de glicocorticoides, fazendo dele uma possível terapia de suporte para pessoas com asma esteroide resistente.

5) Saúde na gravidez

gestante saudavel

Mulheres grávidas que são deficientes em vitamina D parecem correr um maior risco de desenvolver pré-eclâmpsia e precisar de uma césarea. Uma baixa quantidade de vitamina D é associada à diabetes mellitus gestacional e à vaginose bacterial em mulheres grávidas.

Também é importante notar que uma alta taxa de vitamina D durante a gravidez foi associada a um aumento no risco de alergia alimentar nas crianças durantes os dois primeiros anos de vida.

6) Prevenção de câncer

potentes nutrientes

Vitamina D é extremamente importante para regular o crescimento celular e para a comunicação celular. Alguns estudos sugeriram que o calcitriol (a forma hormonalmente ativa de vitamina D) pode reduzir o avanço do câncer pela diminuição e desenvolvimento de novos vasos sanguíneos no tecido canceroso, aumentando a morte de células cancerosas e reduzindo a proliferação e metástase das células. A vitamina D influência mais de 200 genes humanos, o que pode ser prejudicial quando não se há vitamina D suficiente.

A deficiência de vitamina D também está associada ao aumento de risco de doenças cardiovasculares, hipertensão, esclerose múltipla, autismo, alzheimer, artrite reumatoide, asma severa e gripe suína. De qualquer forma, mais estudos confiáveis precisam ser feitos para essas associações serem provadas. Muitos desses efeitos ocorrem pois a vitamina D tem um efeito positivo no sistema imunológico

Quantidade recomendada de vitamina D

A quantidade de vitamina D pode ser medida de duas formas: em microgramas (µg) e em Unidades Internacionais (UI).

Uma micrograma d Vitamina D é igual a 40 UI de vitamina D.

A quantidade recomendada de vitamina D varia conforme à vida e segundo os dados de 2010 do U.S. Institutes of Medicine (IOM) as quantidades recomendadas são:

Bebês 0-12 meses:400 UI (10µg)
Crianças 1-18 anos:600 UI (15µg)
Adultos até 70 anos:600UI (15µg)
Adultos acima de 70 anos:800UI (20µg)
Grávidas ou lactantes:600UI (15µg)

Deficiência de vitamina D

Embora o corpo possa produzir vitamina D, há várias razões pelas quais a deficiência pode ocorrer. Por exemplo, uma cor de pele mais escura e o uso de protetor solar reduzem a capacidade de absorver a radiação ultravioleta b (UVB) necessária para produzir a vitamina D.

Um protetor solar com fator de proteção (SPF) 30 pode reduzir a capacidade do corpo de sintetizar a vitamina B em 95%. Para se ter a produção de Vitamina D, a pele precisa ser diretamente exposta à luz solar, ou seja, sem estar coberta por roupas.

Pessoas que vivem no hemisfério norte ou em áreas de alta poluição, que trabalham de noite e ficam em casa durante o dia, ou que ficam presas em casa devem consumir vitamina D através da alimentação sempre que possível. Crianças que são unicamente amamentadas precisam de suplementação em vitamina D, especialmente se possuem pele escura ou se possuem exposição mínima ao sol. A Academia Americana de Pediatria recomenda que as crianças que amamentam recebam 400 UIs por dia de um suplemento oral de vitamina D. Gotas especiais para bebês estão disponíveis no mercado.

Embora o suplemento de vitamina D possa ser usado, é melhor obter qualquer vitamina ou mineral através de meios naturais sempre que possível.

sintomas da deficiência

Sintomas da deficiência de vitamina D

Sintomas da deficiência de vitamina D podem incluir:

  • Ficar doente ou infeccionado mais frequentemente.
  • Cansaço.
  • Dores nos ossos e coluna.
  • Humor depressivo.
  • Cicatrização mais lenta.
  • Queda de cabelo.
  • Dor muscular.

Se a deficiência de vitamina D continuar por muito tempo, pode resultar em:

  • Obesidade
  • Diabetes
  • Hipertensão
  • Depressão
  • Fibromiagila
  • Síndrome de fatiga crônica
  • Osteoporose
  • Doenças neurodegenerativas, como Alzheimer

A deficiência de vitamina D também pode contribuir para o desenvolvimento de certos tipos de câncer, especialmente de mama, próstata e câncer de cólon. Explicaremos isso com mais detalhes posteriormente.

Tem dúvidas? Comente abaixo!

Este artigo te ajudou? Esperamos que sim! Compartilhe isso para o mundo: Obrigada! 😘mais saudáveis do mundo

Comente! Pergunte! Relate! Sugira!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest